Giselle Sato
A inspiração é o encontro perfeito das palavras e a imaginação. Aventure-se.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Meu Diário
28/08/2018 23h41
Mães narcisistas- A história de duas filhas sobreviventes- Giselle Sato

Existem mulheres que não deveriam ter filhos, que não nasceram para dividir atenção e amor  com ninguém, que não tem a menor idéia do que é instinto maternal. Se você acha impossível uma mãe não sentir  nenhum tipo de empatia pela própria cria, então provavelmente ainda não conheceu uma mãe narcisista, não que seja fácil reconhecer alguma de imediato, mas elas existem desde os tempos remotos.

Há quarenta anos ninguém admitia que uma mãe pudesse maltratar  a cria, e ninguém ousava se meter nestas situações de profundo constrangimento, onde a vítima não fazia a menor idéia da razão de tanta violência. Uma mãe narcisista manipula  o sentimento de culpa, fazendo a filha acreditar que nunca fez o suficiente; desta forma cria a falsa expectativa que um dia serão felizes juntas.

 

 

 

 

 

 

 

 


Publicado por GiselleSato em 28/08/2018 às 23h41
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
24/08/2018 15h35
No ir e vir infinito - Giselle Sato

Estou praticando mindfulness nas inúmeras vezes que não quero levantar da cama para fazer fisioterapia, e as práticas me ajudaram a perceber com clareza a realidade: tudo está em constante mudança, o cansaço e  a dor também se alternam evoluem e regridem. O mal estar muitas vezes está ligado ao emocional: pensamentos, sentimentos, sensações que são constantes, surgindo  e desaparecendo todo o tempo. Quando treino esta forma de perceber sem reagir, conviver com a dor crônica torna-se bem mais leve.

Posso repousar agora, mas amanhã também posso recomeçar, sem culpa e com mais disposição. Posso ter uma vida mais produtiva e menos sofrida, aceitando as coisas como são e não eu gostaria que fossem.

Nada tem um caráter definitivo na dor e na doença, mesmo em uma autoimune que  não tem cura, é degenerativa, com prognósticos sombrios, apontada como uma das mais dolorosas, incompreendida por muitos, temida e odiada por uma grande maioria, cercada de mitos e mistérios infundados.

E os pensamentos vêm e vão, as sensações se alternam num crescente, as emoções fluem, fluem, fluem…  no ir e vir infinito como diz a letra da canção do Lulu Santos.   Simples assim.  

 

 

 

 


Publicado por GiselleSato em 24/08/2018 às 15h35
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
19/08/2018 17h39
Cronica de um bom café

Olhou ao redor, a água fervia e ela não conseguia se decidir, fechou os olhos e pegou qualquer embalagem. Abriu depressa, sem pensar em desistir, jogou duas colheres bem generosas do pó escuro e aromático no velho coador de pano.





Coou e preparou uma boa xícara. Um gole para a dor , outro para a mágoa, mais um para o rancor, juntou a raiva e a  tristeza, finalizou com um suspiro profundo.



Publicado por GiselleSato em 19/08/2018 às 17h39
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
12/08/2018 13h28
Inspiração

A inspiração está em todos os lugares, e a natureza nos proporciona o maior espetáculo todos os dias, renovando o ciclo da vida. Mesmo imersos no pesar, é impossível deixar de perceber a luminosidade da manhã, a temperatura do ar, os sons à nossa volta, perfumes, aromas e gostos.



Em cada um dos sentidos, o apelo da existência é um lembrete de que fazemos parte deste ciclo e estamos inseridos neste  contexto mágico. Renovar, existir, prosseguir, aprender, ensinar, perceber, experimentar, respirar. Viver.



https://www.recantodasletras.com.br/cronicas/6416995



Publicado por GiselleSato em 12/08/2018 às 13h28
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
09/08/2018 15h11
Nem sempre sou forte

A situação de extrema penúria, a violência, a cidade caótica e o povo doente e sem rumo doem muito; doem mais que a dor da autoimune.

Não sou forte todo o tempo,  me resta ter fé, esperança e fazer minha parte.

 

 

 

 


Publicado por GiselleSato em 09/08/2018 às 15h11
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 2 de 19 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]

A Pequena Bailarina
Assassinos S/A II
BECO DO CRIME
Meninas Malvadas
POETRIX
Trilhas da imensidão- Contos de Terro...
Site do Escritor criado por Recanto das Letras